Jurupiga - Um cálice de sabor

Hoje eu quero falar de um vinho diferente, lá da minha cidade, na verdade de um lugar bem específico: a Ilha dos Marinheiros.




A Ilha dos Marinheiros fica localizada na cidade de Rio Grande, no extremo sul do Rio Grande do Sul, lugar onde nasci, cresci e passei os melhores anos da minha vida.





Lá na Ilha, além da agricultura, que mantém diversas famílias, existe uma em especial que produz, até hoje, a Jurupiga, um vinho tipo do porto, docinho, com teor alcoólico de 20%.

A bebida é feita antes do vinho "normal". Após a quebra da uva, retira-se o suco e adiciona-se álcool etílico para deixar envelhecer por 6 meses em barris de polipropileno. A uva utilizada é a bordô, parte plantada nas terras da família, parte trazida da Serra Gaúcha.




A Jurupiga era um produto comum na Ilha, de colonização basicamente portuguesa, mas com o tempo apenas a família de Rosângela Maria da Costa Dias e Hermes Silva Dias, continuaram com o negócio e transformaram-no em um produto conhecido e turístico. Hoje, pais e filhos continuam a tradição e fazem da Juripiga uma bebida completa, feita com carinho, desde a colheita da uva até a finalização com artesanato, também familiar, feito por Rosângela.





A produção anual chega a 5 mil litros / ano dependendo da safra.

Eu sempre tive uma garrafinha na geladeira para servir aos meus amigos, depois de conhecer mais sobre essa tradição familiar, agora mesmo que jamais vou deixar faltar!




Ainda não é um produto fácil de encontrar, na verdade... se você conhece alguém de Rio Grande, peça uma garrafa, porque vale a pena provar. Pode ser uma surpresa para a sua sobremesa!


Santé!

2 comentários:

  1. SENSACIONAL!!!!
    Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiii o artigo.
    Me trouxe recordações nostálgicas de uma época também muito FELIZ da minha infância e adolescência.Minha mãe nasceu nesta região da Ilha dos Marinheiros.Desconhecia a produção dessas uvas,lá e,consequentemente o vinho feito com ela.
    Fiquei com gosto na boca deste vinho,tal a descrição perfeita que fazes do seu sabor.
    PARABÉNS!!!
    Santé

    Dionéia Pantoja da Silva
    Amiga de infância de tua mãe e,igualmente riograndina

    ResponderExcluir